Publicado em 4/27/2017 5:30:17 PM

Comitiva chilena conhece programa habitacional de Curitiba

Grupo formado por estudantes de Ciências Políticas e Internacionais, arquitetos, geógrafos e funcionários públicos de Iquique conheceu projetos de reassentamento e regularização fundiária.

 

Projetos de reassentamento e regularização fundiária promovidos pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab) despertaram o interesse de uma comitiva chilena formada por 25 estudantes de Ciências Políticas e Internacionais, arquitetos, geógrafos e funcionários públicos de Iquique, cidade localizada na região de Taparacá, ao norte do país vizinho. O grupo esteve na sede da Companhia de Habitação de Curitiba (Cohab), no Centro, na tarde de quarta-feira (26) para conhecer detalhes do programa habitacional do município.

A comitiva foi recebida pelo presidente da companhia, José Lupion Neto e ouviu explicações feitas pela responsável pela Unidade de Assessoramento de Regulamentação Fundiária, Melissa Cunha Kesikowski e pelo diretor técnico da Companhia, Mauro Kugler. Os dois apresentaram as principais linhas de atuação da Cohab nos atendimentos realizados às famílias inscritas no cadastro de pretendentes a imóveis, a chamada fila e aos moradores de áreas de risco.

Também foram apresentados resultados dos principais projetos em andamento, com ênfase nos critérios para seleção das famílias atendidas, trabalho social desenvolvido com as famílias antes, durante e pós reassentamento, infraestrutura e investimentos voltados à urbanização e recuperação ambiental das áreas após a desocupação. “Estamos abertos e interessados na troca de conhecimentos técnicos e estratégicos que nos permitem apresentar nossas experiências, mas também são oportunidades para aprimorar nossos projetos a partir do intercambio de ideias. Esta é uma determinação do prefeito Rafael Greca para que a cidade volte a ser referência mundial em inovação e boas práticas e para que busque também novas alternativas para nossos desafios”, disse Lupion ao grupo.

Depois das apresentações os chilenos participaram de uma visita técnica no bairro Uberaba, na área do projeto Bolsão Audi União para conferir as diferentes frentes de ação já executadas e ainda em andamento da área. O Bolsão Audi União é um aglomerado de sete vilas irregulares – distribuídas em uma extensão de 2 milhões de metros quadrados - que surgiram a partir de 1998, em meio às antigas cavas do rio Iguaçu e se consolidou como uma das mais precárias e populosas da cidade.

Urbanização e reassentamentoA comitiva conferiu o resultado promovido nas diferentes frentes de ação: das obras de urbanização nos trechos onde não havia impedimento nem risco à permanência das famílias; construção de casas no próprio bolsão para reassentamento de moradores da beira do rio ou de locais insalubres; regularização fundiária para entrega de documentos de propriedades tanto para as famílias beneficiadas com a urbanização quanto com o reassentamento; implantação de canais de macrodrenagem e diques de contenção de cheias. Os diques foram a solução para sanar um problema recorrente no bolsão, o das inundações.

O projeto apresentado aos chilenos ficou entre os dez finalistas do prêmio World Habitat 2014/2015, organizado pela Building and Social Housing Foundation (BSHF), uma organização não governamental que estimula, por meio de pesquisas colaborativas e transferência de conhecimento, políticas de inovação e desenvolvimento sustentável ligadas à moradia.

Para a representante do Ministério de Vivienda e Turismo da Região de Tarapacá, Priscila Ormenõ conhecer a experiência desenvolvida em Curitiba será importante para abrir novas perceptivas de estudo e trabalho em seu país. “As questões de uso de solo e das submoradias são desafios que o Chile precisa vencer”, explica Priscila. “O trabalho feito por Curitiba servirá como inspiração”, disse a visitante.

O diretor do departamento de Ciência Política e Relações Internacionais da Universidad Alberto Hurtado, Ignacio Cienfuego Spikin, considerou proveitosa a visita à Cohab pois atendeu a expectativa do grupo de conhecer como é feita a aplicação do modelo habitacional de Curitiba. “A experiência de serviços e ações descentralizadas, definidas localmente e desenvolvida de forma setorial foi um aspecto que nos despertou interesse. Curitiba é modelo para nós em vários aspectos e encontramos o que viemos buscar, ou seja, novas realidades para questões de moradia, meio ambiente, planejamento urbano e negócios locais”, disse Spikin.

Em Curitiba desde o último dia 24, a comitiva visitou também outros órgãos da Prefeitura, como o Ippuc, Agência Curitiba, Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Urbs. O interesse da comitiva na cidade, segundo relatos dos integrantes é o de conhecer as ações para a recuperação de habitações em áreas consolidadas, a rede de economia local, transporte público e políticas de atendimento às mulheres.

« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera