Publicado em 5/10/2019 10:16:41 AM

Área cedida pela Cohab será espaço para acolhimento de pessoas em situação de rua

O local funcionará como uma moradia assistida para homens de 18 a 59 anos. Cada pessoa poderá ficar por até 12 meses, período em que tentará conseguir um emprego.

 Pessoas em situação de rua que passaram por reabilitação e tratamento de dependência química terão um novo espaço de atendimento em Curitiba. A unidade localizada no bairro Portão terá capacidade para atender até 12 pessoas e funcionará como projeto-piloto desenvolvido pela Associação Batista de Ação Social de Curitiba (Abasc) e a Fundação de Ação Social (FAS).

 
O espaço, localizado em terreno cedido pela Companhia de Habitação Popular de Curitiba (Cohab), funcionará como uma moradia assistida para homens de 18 a 59 anos. No local, cada pessoa poderá ficar por até 12 meses, período em que tentará conseguir um emprego, retornar para a família, quando possível, e conquistar a autonomia. A profissionalização será incentivada para a reinserção social.
 
O funcionamento da casa, inclusive alimentação e supervisão, será mantido pela Abasc, por meio do programa Cristolândia. Já os moradores serão responsáveis pela manutenção do espaço, com limpeza e pagamento das contas de água e luz.
 
“Inauguramos essa casa e a chave dela é o coração dos curitibanos. Com ela, abrimos as portas de Curitiba para um lindo trabalho de acolhimento”, disse o prefeito Rafael Greca na inauguração. Segundo Greca, rua não é moradia e toda pessoa tem direito a um lar, onde se pode encontrar a felicidade.  
 
O presidente da Abasc, pastor Paschoal Piragini, agradeceu o apoio do município na implantação do projeto. “O que vemos aqui é algo inovador, um case que poderá ser replicado em todo o país. Temos uma parceria público-privada, mas com o movimento religioso, com o propósito de resolver uma questão que ninguém consegue solucionar sozinho, que é o problema da drogadição que leva à situação de rua”, disse.
 
Projeto
 
A abertura da casa corresponde à quarta fase do programa Cristolândia em Curitiba, que começou em março de 2018. O trabalho busca a prevenção, recuperação e assistência a dependentes químicos.
 
As primeiras etapas do programa são voltadas para a abordagem social e o acolhimento de pessoas em situação de rua. A terceira fase é a de reabilitação, que é realizada em uma chácara, em Mandirituba, na Região Metropolitana.   
 
Desde seu lançamento na capital, o Cristolândia registrou 11.184 atendimentos nas ruas e acolhimento e reabilitação de 30 pessoas. Destas, dez passaram para a última etapa da ação.
 
O Cristolândia começou em São Paulo, em 2009, e hoje está também no Rio de Janeiro, Espírito Santo, em Minas Gerais, no Distrito Federal, em Pernambuco e na Bahia.
 
A FAS mantém parcerias com a Abasc desde 2011, principalmente para atendimento a pessoas em situação de rua.
 
Presenças
 
Participaram do evento o vice-prefeito Eduardo Pimentel, o presidente da FAS, Thiago Ferro, o presidente da Cohab, José Lupion Neto, o secretário municipal do Abastecimento, Luiz Gusi, os administradores regionais Gerson Gunha (Portão) e Reinaldo Boaron (Pinheirinho), o presidente do Conselho de Ministros Evangélicos do Paraná (Comep), bispo Cirino Ferro, a bispa Amanda Kaminski Ferro, a superintendente de Gestão da FAS, Veranice Hayashida, a diretora de Atenção à População em Situação de Rua da FAS, Maria Alice Erthal, pastores e o Coral Cristolândia.
 
« voltar
 

Rua Barão do Rio Branco, 45 - Centro - Curitiba - PR | CEP: 80010-180 | Fone: 0800-413233 - (41) 3221-8100

Desenvolvido por GPA'prospera